Kraken

O que é THORChain? (RUNE)

Guia para iniciantes do RUNE

O THORChain é um protocolo de liquidez cross-chain e descentralizado que permite que os usuários façam swap de ativos entre redes de blockchain.
 
Uma das mais significativas inovações a saírem do espaço de finanças descentralizadas (DeFi) é o modelo de market maker automatizado (AMM). Com os AMMs, os usuários de criptomoedas podem depositar uma proporção específica de criptomoedas em um pool de liquidez. Em seguida, os participantes usam esses fundos do pool para executar negociações nas quais as criptomoedas do pool funcionam como o par de negociação. 
 
Os protocolos DeFi, como o Uniswap e o Balancer, usam pools de liquidez para possibilitar que os usuários façam swap de ativos de maneira peer-to-peer e descentralizada. No entanto, a maioria dos AMMs só permite que as negociações sejam realizadas dentro de uma única rede de blockchain, como o Ethereum.
 
O THORChain oferece uma solução na forma de exchange descentralizada (DEX) baseada no kit de desenvolvimento de software (SDK) da Cosmos. Seu protocolo baseado em AMM fornece a tecnologia de back-end necessária para o swap de criptomoedas entre blockchains anteriormente não interoperáveis.
 
O token RUNE viabiliza a rede THORChain. O RUNE é usado como um token de pareamento que acompanha cada ativo nos pools de liquidez da plataforma. Por isso, o RUNE serve como o segundo token que os usuários depositam no pool de liquidez para basear a execução de transações, impulsionando assim tanto a sua utilidade quanto o seu valor na rede. O RUNE também é usado para pagar taxas, fornecer uma base para governança e proteger a rede THORChain.

what is thorchain rune

Quem criou a THORChain?

A THORChain foi criada por uma equipe de desenvolvedores no Binance Dexathon em 2018. Como os fundadores e os desenvolvedores continuam, na maior parte, anônimos, a comunidade da THORChain é que impulsiona muito da imagem pública da empresa.
 
O projeto arrecadou US$ 1,5 milhão em uma oferta inicial (IDO) de DEX em julho de 2019. No mesmo mês, a equipe da THORChain apresentou o BEPSwap como seu primeiro produto de mercado. O BEPSwap é um DEX que permite trocas entre tokens BEP-2 na BNB Chain (anteriormente conhecida como Binance Smart Chain).
 
A THORChain lançou o Multichain Chaosnet (MCCN) em abril de 2021, permitindo a realização de swaps cross-chain entre Bitcoin, Ethereum, Litecoin e outros ativos. No entanto, em julho de 2021, a rede sofreu invasões sequenciais de hackers, que resultaram em prejuízos de mais de US$ 13 milhões.
 
Os desenvolvedores trabalharam para corrigir os problemas, aprimorar o código e melhorar a segurança da rede, restaurando, por fim, quatro das cinco redes compatíveis com o protocolo THORChain até outubro de 2021. Impulsionando a renovação do projeto, uma venda de tokens privados foi realizada naquele mesmo mês, por meio da qual US$ 3,75 milhões foram levantados, principalmente pela IDEO CoLab Ventures.

Como funciona a THORchain?


A THORChain é compatível com um ecossistema de produtos e serviços que integram a infraestrutura cross-chain da rede. Plataformas como a THORSwap, que é a primeira DEX multichain a usar a rede da THORChain como interface de front-end, usam a THORChain para facilitar swaps cross-chain. A THORSwap permite que os usuários escolham quais são os dois ativos que serão usados no swap, e o protocolo calcula automaticamente as taxas com base na atividade da rede. 
 
Os swaps que ocorrem no THORChain são possibilitados pelo uso de um pool de liquidez contínua (CLP) por parte da rede, no qual o RUNE é usado como intermediário para cada swap. 
 
Quando um swap de dois ativos é realizado no THORChain, o swap se dá, na realidade, entre dois pools diferentes. Isso ocorre porque cada pool de liquidez no THORChain faz o pareamento do RUNE com os ativos disponíveis. Por exemplo, se um usuário da THORChain quisesse trocar USDT por ETH, esse usuário iria, primeiro, negociar seus USDTs por RUNE em um pool, antes de negociar seus RUNEs por ETH no próximo pool.
 
A máquina de estados da THORChain faz o swap de um ativo por RUNE e, em seguida, move-o para o segundo pool, onde faz o swap de RUNE pelo ativo que o usuário queira. Isso é realizado sem que o usuário precise converter sua criptomoeda em RUNE, nem assumir a custódia do RUNE. 
 
Com o modelo de liquidez de CLP da THORChain, o protocolo consegue responder à demanda de liquidez flutuante. 
 
Além disso, há quatro funções principais para os participantes da THORChain:

  • Provedores de liquidez (LPs): os LPs fornecem ativos para os pools de liquidez em troca de recompensas por bloco e taxas de transações de swap. As recompensas são calculadas com base na atividade do pool e na participação dos tokens dos LPs representados dentro do pool.
  • Swappers: os swappers são a base de usuários que negocia entre vários criptoativos no THORChain.
  • Traders: a THORChain conta com traders de arbitragem que buscam ativos que estão subvalorizados ou supervalorizados na THORChain em comparação com seus preços de mercado em outras plataformas de exchange. Esses traders de arbitragem reequilibram os pools de liquidez por meio da compra ou da venda de ativos em diversas exchanges até que os preços desses ativos no pool reflitam o atual preço de mercado.
  • Operadores de nó: os operadores de nó vinculam uma quantidade definida de RUNE para dar suporte à rede e participar do mecanismo de consenso de Proof-of-stake da THORChain. Esses operadores são instruídos a permanecer anônimos e são rotativamente inseridos ou retirados da rede com base em seu nível de confiabilidade em um processo chamado de “churning”.

Por que o RUNE tem valor?

A funcionalidade cross-chain da THORchain conta com o uso do seu token nativo, o RUNE. Como cada ativo é pareado ao RUNE em seu próprio pool de liquidez, o uso do RUNE é necessário para cada troca realizada na rede. 
 
O Rune também é usado para: 

  •  Pagar taxas
  • Recompensar provedores de liquidez
  • Proteger a rede THORChain (por meio do stake do RUNE)
  • Compensar as taxas de transação de nós
  • Fornecer governança para o protocolo THORChain

 
Os nós da THORChain devem vincular uma determinada quantidade de RUNE de acordo com o valor dos ativos nos pools de liquidez da rede. Isso não só desencoraja os operadores de nós a agirem com má intenção, mas também promove um aumento na demanda por RUNE.
 
Inicialmente, havia uma oferta máxima de aproximadamente 1 bilhão de tokens RUNE, mas essa oferta foi reduzida para 500 milhões em 2019. Após essa queima de token, 44,09% dos tokens foram alocados para nós de serviço, 10,4% para custos operacionais, 10% para a comunidade e 10% para a equipe e os conselheiros. Os tokens restantes foram retidos para o financiamento do projeto.

Guias de criptomoedas da Kraken



Por que comprar RUNE?

O RUNE é usado por participantes da rede THORChain que atuam como provedores de liquidez, operadores de nós e muito mais. Usuários que queiram participar das negociações de arbitragem na THORChain talvez também achem interessante adquirir RUNE para aproveitarem quaisquer possíveis oportunidades de arbitragem que surjam de desequilíbrios nos pools de liquidez da THORChain.
 
Os traders de criptomoedas também podem enxergar a interoperabilidade entre cadeias como um impulsionador de valor de criptomoedas como o RUNE. Traders especulativos podem até mesmo preferir adquirir RUNE puramente com base no fato de que os preços poderão aumentar futuramente, conforme a plataforma for desenvolvendo mais funções para o token.

Começar a comprar RUNE


Que tal dar o próximo passo? Clique no botão abaixo para comprar THORchain (RUNE) na Kraken hoje mesmo!