Kraken

O que é Tron? (TRX)

Guia para iniciantes


Lançado no auge da criptomania de 2017, o Tron têm estimulado um grupo global de investidores e desenvolvedores sobre uma visão de como as criptomoedas poderiam reestruturar a Internet. 

Mas se o objetivo de usar blockchains para criar uma Web distribuída era comum entre projetos lançados na época, o Tron diferenciou sua oferta com comunicações que repercutiram, mesmo enquanto as críticas sobre a tecnologia persistiram. 

Por exemplo, o Tron era raro entre as criptomoedas lançadas em 2017, pois não tentou divulgar nenhum avanço na criptografia ou no design da rede. 

Em vez disso, os componentes básicos do Tron – aplicativos descentralizados, contratos inteligentes, tokens, consenso delegado de prova de participação – de que foram precursores outros projetos antes do seu lançamento. O Tron chegou ao ponto de tornar os componentes da sua tecnologia compatíveis com Ethereum (ETH) (o que desencadeou acusações de que foi longe demais em adotar suas ideias).

O Tron se diferenciaria ainda mais com uma estratégia de entrada no mercado com foco na Ásia, que contava muito com a propaganda do seu criador Justin Sun e na tradução dos seus documentos técnicos para uma variedade maior de idiomas do que geralmente visados pelos projetos de criptomoeda. 

O Tron passou a ganhar maior atenção em 2018 quando a Tron Foundation, sem fins lucrativos, adquiriu o BitTorrent, pioneira em redes par a par. 

Essa aquisição antecedeu o lançamento de um token do BitTorrent na blockchain Tron em 2019, uma mudança que deu ao Tron a capacidade de comercializar uma nova criptomoeda para milhões de usuários existentes.

What is Tron? (TRX)


Quem criou o Tron?

O Tron foi criado pelo empreendedor Sun Yuchen (Justin Sun), duas vezes ganhador do prêmio "30-Under-30" da Forbes na Ásia, no início de 2017.

Uma presença estabelecida na China, Sun fundou anteriormente o aplicativo de conteúdo de áudio Peiwo e atuou em 2015 como representante da Ripple, a empresa com fins lucrativos que atende à criptomoeda XRP, antes de fundar a Tron Foundation naquele ano. 

O histórico comercial de Sun conseguiu atrair o interesse inicial dos investidores, incluindo o de Tang Binsen, fundador da Clash of Kings e de Dai Wei, CEO da startup de compartilhamento de bicicletas OFO entre outros. 

Esses apoiadores, por sua vez, impulsionaram a visibilidade da ICO de setembro do projeto, que arrecadou milhões do público em criptomoeda usando um símbolo na blockchain ethereum. 

Uma segunda versão do white paper descrevendo mais detalhadamente a tecnologia do Tron foi lançada em 2018.

Como funciona o Tron?


Inicialmente criado como um token baseado em Ethereum, o Tron finalmente migrou para sua própria rede em 2018. 

O processo envolveu investidores que negociavam em seus tokens Ethereum para a criptomoeda TRX do Tron. (Os tokens Ethereum foram subsequentemente destruídos.)

Arquitetura geral 

Como o Ethereum (ETH), o Tron usa um modelo baseado em conta, o que significa que as chaves criptográficas emitidas por seu protocolo podem controlar o acesso aos saldos TRX e de token TRX.

Em seguida, a blockchain Tron direciona a troca desses dados por três camadas: 

  • Camada principal – computa instruções escritas em Java ou Solidity (uma linguagem projetada para Ethereum) e as envia para a Máquina Virtual Tron, que executa a lógica.

  • Camada de aplicativos – utilizada pelos desenvolvedores para criar carteiras e aplicativos fornecidos pela criptomoeda TRX e compatíveis com o software.

  • Camada de armazenamento – projetada para segmentar dados de blockchain (o registro do histórico da blockchain) e seus dados de estado (que preserva o status dos contratos inteligentes). 

Prova de participação delegada

Para chegar a um consenso sobre seu registro, o Tron usa um sistema no qual um elenco rotativo de 27 "super representantes" são encarregados de validar transações e manter a história do sistema. 

Os super representantes são escolhidos a cada seis horas e, se escolhidos, ganham a capacidade de coletar novos TRX gerados pelo protocolo. 

Blocos são adicionados à blockchain a cada três segundos e as pessoas que produzem um bloco válido recebem 32 TRX por seus esforços. Um total de 336.384.000 TRX é concedido anualmente.

Além dos super representantes, os usuários podem operar três tipos de nós na blockchain Tron – nós testemunhas, nós completos e nós Solidity. Os nós testemunhas propõem blocos e votam nas decisões de protocolo enquanto os nós completos transmitem transações e blocos. 

Nós Solidity sincronizam blocos de nós completos e fornecem APIs.

Mais detalhes sobre a produção de blocos e super representantes da rede podem ser encontrados aqui.

Stake do TRX no Tron

Para votar em super representantes, os usuários Tron precisam de um recurso de rede chamado "Tron Power". 

Os usuários recebem um Tron Power para cada TRX que eles escolhem "bloquear" em uma conta que é impedida de gastar sua criptomoeda associada. (Ao descongelar a criptomoeda, os usuários perdem seu Tron Power e a capacidade de votar.) 

O Tron Power não pode ser negociado como o TRX ou outros tokens emitidos sobre a blockchain Tron. 

Efetivamente, o processo funciona da mesma forma que o stake nas blockchains como Tezos ou Cosmos, onde os usuários ganham recompensas ao bloquear fundos. (Observação: Esteja ciente de que isso pode não ser possível usando uma exchange de custódia como a Kraken).


Por que o TRX tem valor?

A criptomoeda que aciona o bloco Tron é chamada de tronix, cuja menor denominação é o "sun", que recebeu o nome de Justin Sun, o criador do protocolo.

No total, 100 bilhões de TRX foram criados no momento da oferta inicial de moeda (ICO) do Tron em 2017. 

Naquele momento, os tokens TRX foram distribuídos da seguinte forma:

  • Venda pública: 40 bilhões de TRX 

  • Venda privada: 15 bilhões de TRX 

  • Reservados para a Tron Foundation: 35 bilhões de TRX

  • Reservados para o Peiwo (o apoiador inicial do projeto): 10 bilhões de TRX

A partir deste ponte, há algumas nuances na economia Tron que a diferenciam da concorrência. 

Para determinar se um usuário precisa pagar por uma transação, o Tron usa um sistema de "pontos de largura de banda". Os pontos de largura de banda são consumidos quando um usuário faz uma transação, com um ponto de largura de banda sendo deduzido para cada byte de dados. 

Cada conta recebe 5.000 pontos de largura de banda gratuitos todos os dias. Se um usuário não tiver pontos de largura de banda suficientes para executar uma transação, 0,1 TRX será queimado por byte de dados.

Também há penalidades na rede que podem reduzir a oferta de TRX. Como exemplo, 9.999 TRX são queimados de contas que se inscrevem para se tornar candidatos super representativos. 

Até janeiro de 2021, nenhum novo TRX será introduzido pelo protocolo, com todos os novos TRX concedidos a super representantes provenientes da alocação original do token para a Tron Foundation.


Por que usar o TRX?

A tronix é necessária para o uso de aplicativos na rede Tron, o que significa que, se você estiver procurando utilizar um jogo ou serviço baseado em Tron, precisará comprar TRX. 

Um pré-requisito para participar também no sistema de consenso do Tron é possuir TRX, o que significa que você vai querer TRX se pretende colocar moedas em stake e votar sobre como as operações do protocolo são conduzidas. 

Dependendo da tese de investimento, também pode ser que os negociadores queiram adicionar o TRX ao seu portfólio. Como sua plataforma permite que os usuários criem aplicativos e tokens personalizados, os negociadores que acreditam enfaticamente nesses casos de uso com blockchains podem querer exposição ao Tron. 

Eles também podem valorizar a capacidade da criptomoeda gerar renda passiva por meio de stake, pois isso pode ajudar a compensar o risco de reter ou assumir a propriedade do ativo como parte do seu portfólio.

Comece já


Agora você está pronto para dar o próximo passo e comprar Tron!