Kraken

O que é Ethereum Classic? (ETC)

O Guia do Iniciante


O Ethereum Classic (ETC) emergiu rapidamente como uma contribuição sem precedentes na história da criptomoeda, desafiando ideias sobre como as blockchains poderiam ser lançadas, alteradas e atualizadas.

Isso porque, antes do lançamento do Ethereum Classic, em 2016, os desenvolvedores normalmente lançavam novas criptomoedas copiando e modificando um software de criptomoeda existente (geralmente o Bitcoin), ou escrevendo um novo software do zero. O Ethereum Classic não fez isso. 

Em vez disso, o Ethereum Classic foi criado quando um grupo de usuários da blockchain Ethereum (ETH) optou por não atualizar para o novo código recomendado pelos desenvolvedores de projetos. 

O que estava em questão era que o código editaria o histórico de transações do Ethereum, retornando Ether a indivíduos que perderam fundos, quando um aplicativo popular (o DAO) fosse comprometido.

A maioria dos usuários do Ethereum atualizou seu software (um desenvolvimento que ajudou a garantir que essa nova blockchain mantivesse o nome Ethereum).

No entanto, uma minoria de usuários continuou a manter o software Ethereum mais antigo com o registro do roubo. Ao continuar executando esse código, os usuários efetivamente criaram uma nova criptomoeda. 

Essa versão do software Ethereum agora existe como Ethereum Classic.

What is Ethereum Classic?


Quem criou o Ethereum Classic?

É difícil dizer exatamente quem criou o Ethereum Classic (ETC).

O desenvolvedor mais associado à decisão de continuar mantendo o Ethereum original é o anônimo Arvicco, que creditou um grupo maior de usuários pela ideia.

No entanto, como grande parte do código do Ethereum Classic é o produto da equipe de desenvolvimento do Ethereum original, o fundador do projeto, o russo-canadense Vitalik Buterin, e seus colegas, podem ser considerados responsáveis por muitas das inovações técnicas do Ethereum Classic.

Com o Ethereum, o objetivo de Buterin era expandir os possíveis casos de uso de criptomoedas para aplicativos além do dinheiro. 

O Ethereum permite que os desenvolvedores criem novas criptomoedas e DApps que são executados sobre sua blockchain. O Ethereum Classic busca dar continuidade a essa visão. No entanto, seus desenvolvedores optaram por essa continuidade por meio de diferentes decisões técnicas.

Por que o Ethereum Classic realizou um fork?


A resposta mais simples é que o fork do Ethereum Classic ocorreu por uma disputa ideológica entre os usuários do Ethereum. 

Um dos principais recursos das blockchains é sua "imutabilidade", ou a incapacidade de qualquer usuário de alterar transações que foram adicionadas ao histórico da blockchain.

Os usuários do Ethereum Classic viram o código proposto pelos desenvolvedores do Ethereum, na sequência do ataque ao DAO, como uma violação de uma garantia essencial do software. Os desenvolvedores de projetos tendiam a ver o código como uma correção única para um software beta.


O que era o DAO?

O DAO era um DApp destinado a servir como um veículo de financiamento para projetos emergentes no Ethereum. 

Ao contrário dos veículos de financiamento tradicionais, o DAO era composto exclusivamente por código. Ele não tinha líderes, substituindo os controles corporativos por votação aberta. Aqueles que investiram Ether no DAO poderiam votar em quais projetos apoiar e contribuir com ETH, para serem distribuídos a esses projetos.

Quando uma pessoa interessada queria investir no DAO, ela conseguia trocar o ETH pela criptomoeda do DAO (DAO). Ela também pode recuperar seus depósitos a qualquer momento, um recurso exclusivo para aplicativos de financiamento descentralizado em relação aos seus pares estabelecidos do setor.

O ataque ao DAO


Em junho de 2016, o DAO reconheceu publicamente uma falha de segurança que poderia ameaçar os cerca de US$ 150 milhões em Ether que ela havia coletado até o momento. Apesar das garantias de que os fundos estavam seguros, eles acabaram sendo drenados de suas contas. 

O indivíduo ou grupo que confiscou os fundos é desconhecido, e os seus motivos continuam a ser objeto de debate entre os usuários do Ethereum e do Ethereum Classic. 

Isso ocorreu porque o invasor explorou um bug no código que permitiu que ele recuperasse continuamente seus tokens DAO, permitindo que recuperasse infinitamente mais do que o que foi investido originalmente. No entanto, devido às especificidades do código, os desenvolvedores habilitaram a praticamente qualquer usuário a capacidade de executar tal ação.

Isto acabou resultando na remoção de cerca de um terço dos fundos coletados do DAO, e em um debate acalorado da comunidade sobre como (ou se) os desenvolvedores do Ethereum deveriam responder.


Como aconteceu o fork do Ethereum Classic?

Diante de uma escolha difícil, os desenvolvedores do Ethereum procuraram perguntar aos usuários como o projeto deveria continuar à luz do ataque ao DAO. 

Isso significava que os desenvolvedores de Ethereum em algum momento codificariam um software alternativo, com uma correção projetada para reverter a perda de fundos. Ao publicar o código, os desenvolvedores do Ethereum acreditavam que estavam efetivamente pedindo ao público que tomasse uma decisão, pois os usuários poderiam rejeitar a correção.

Como o código afetou diretamente o histórico de transações do Ethereum, qualquer pessoa que decidisse continuar executando o software antigo seria deixada realizando transações em uma blockchain separada. 

Por alguns dias, parecia que uma divisão desse tipo seria evitada. Então, um novo grupo de desenvolvedores começou a manter o antigo código do Ethereum, um desdobramento que incentivou os mineradores a dedicar capacidade de computação para proteger a blockchain e coletar a nova criptomoeda criada.

Qual é a diferença entre Ethereum e Ethereum Classic?


O Ethereum e o Ethereum Classic foram inicialmente baseados no mesmo código, mas o Ethereum Classic, desde então, diferenciou sua tecnologia.

Talvez a maior diferença seja que a comunidade do Ethereum Classic jurou continuar usando a mineração de proof-of-work (o sistema pioneiro do Bitcoin) para proteger sua blockchain. 

Desde 2020, o Ethereum também usa proof-of-work, mas seus desenvolvedores estão buscando um roteiro que, em algum momento, mudará o software para um modelo diferente.

Também é importante observar que o Ethereum Classic adotou uma política monetária fixa. A quantidade total de ETC que pode ser criada é limitada a 230 milhões de ETC, o que adiciona fatores de escassez ao seu valor.

 


Por que usar o Ethereum Classic?

Com sua política monetária fixa, os adeptos do Ethereum Classic acreditam que sua criptomoeda, o Classic Ether, pode servir como um armazenamento de valor (como o Bitcoin). Isso pode ser interessante para os investidores, que podem contar com tokens ETC que se tornam mais raros ao longo do tempo. 

A própria rede pode, como o Ethereum, ser usada para desenvolver e executar DApps. Neste momento, há apenas um pequeno número de DApps disponíveis, mas esse número pode aumentar. 

Como o Ethereum Classic é compatível com o Ethereum, há também vozes proeminentes na comunidade que vislumbram um tipo de colaboração simbiótica entre as duas blockchains.

Comece já


Agora você está pronto para dar o próximo passo e comprar alguns ETC!